“O Espírito do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e para proclamar o ano aceitável do Senhor”. (Lucas 4.18 e 19).

Boa nova é uma expressão do novo testamento que exprime o novo de Cristo, a liberdade ao cativo de vícios e depressões, cura para o doente, a liberdade dos oprimidos pelo mundo, pelo pecado e morte.  O amor incondicional que nos permite retornar ao inicio de tudo, com Deus. A Vida em abundância.

Boa nova, Quanto já ouvimos falar? Palavra desgastada em nossos discursos, mas então porque muitas vezes não vivemos? Por que ainda é apenas um conceito, uma palavra imprimida em páginas e mais páginas que sabemos de decoro, mas que não faz parte de nosso dia.

Esquecemos que este Reino de Deus que implantou a graça, a boa nova, é antes de tudo para quem se arrepende, se submete, ouve e prática suas palavras, está disposto a dizer não para si mesmo.

E principalmente pratica-la por meio de um culto racional, não de vãs repetições da religiosidade, e muito menos dos rituais praticados aos domingos ou na semana inteira.

Já que as boas novas celebra a graça e não, mas a repetição e imposição da lei, mas de princípios culminam ao nosso coração à vontade de Deus.

Por isso não estamos, mas direcionados por resumos extensos do que pode ou não pode, por um “modus operante”*  de talião**, e sim pelo Espirito que nos capacita a andarmos no ilimitado poder da palavra de Deus, e  assim nos tornamos a imagem de Cristo.

E então as boas novas verdadeiramente entrarão em nossa vida e não será apenas um factoide discursivo.

Ore: “Senhor me ajude a viver uma vida por inteiro e não só de palavras. Onde possa sem reservas e embaraços entrar na sua presença e viver a suas boas novas, em nome de Jesus, amém”.

Texto: Lucas Vicente.

* Modo operante

** Lei de talião um modelo de lei praticado na antiguidade que se resumia na condenação segundo mesmo peso do erro e crime. Por isso a expressão olho por olho e dente por dente.